Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Em Ananindeua, BR é rodovia sem lei

TRÂNSITO

Desordem e falta de fiscalização imperam nos dois quilômetros da via no município

O trecho da rodovia BR-316 que cruza o município de Ananindeua é considerado pela Polícia Rodoviária Federal o mais perigoso das estradas federais brasileiras, pelo número de acidentes registrados, desde o ano passado. O intervalo de pouco mais de dois quilômetros onde estão instaladas a sede da prefeitura, a igreja Matriz de Ananindeua, uma feira municipal, escolas e agências bancárias concentra, também, o maior número de problemas relacionados à organização do trânsito. Sem sinalização ou qualquer tipo de fiscalização pelo município, impera a desordem e o desrespeito às leis de trânsito.

Na faixa exclusiva para táxis instalada na frente da feira municipal do Maguari, estacionam todos os tipos de carros. As vagas de estacionamento destinadas aos taxistas, indicadas por uma placa, ocupam um precioso espaço da rodovia BR-316, o acostamento. Do outro lado da pista, o espaço para o tráfego de veículos também é diminuído pelo estacionamento irregular. Em frente a estâncias e lojas de materiais de construção, são os caminhões em carga e descarga que ocupam a área que deveria estar livre para os motoristas que seguem para fora da cidade.

O taxista Raimundo Barbosa, que há 28 anos trabalha no ponto de táxi instalado no mercado municipal do Maguari, afirma que a desorganização no trecho é o resultado de anos de descaso. "Quando eu comecei a trabalhar aqui, essa pista era muito menor e não havia tantos problemas. Agora está essa confusão. Não tem uma placa indicando nada, não tem um guarda de trânsito orientando", afirma o taxista, na tumultuada esquina da Estrada do Maguari, centro de Ananindeua. O Departamento de Transportes e Trânsito de Ananindeua esclarece que os agentes municipais realizam diariamente fiscalizações na BR-316, notificando e autuando motoristas que não respeitam as sinalizações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários